Dia a Dia

O corpo humano: um estudo de caso

Por meio de observação e conversas com as crianças surgiu a ideia de explorarem o corpo usando o desenho, fazendo o reconhecimento de cada parte e, claro, com muita autonomia.

A professora fez a proposta para as crianças e os deixou livres para escolherem seus grupos e funções de cada um.

E assim foi feito. As crianças montaram seus grupos, dividiram as tarefas, escolheram os modelos, mas no grupo do Daniel algo chamou a atenção quando a coleguinha perguntou:

“Quem vai ser o modelo?”

Daniel surpreendentemente se levantou e deitou no papel na posição correta para ser desenhado. Ele esperou pacientemente para ser desenhado pelos coleguinhas.

Durante todo o desenvolvimento da proposta, os grupos mostraram grande interesse e alegria em participar e depois com a exposição do cartaz eles mostravam para todos com a fala “olha, fui eu que fiz”.

A educação infantil precisa disso. Precisa ser pensada e ter como base o protagonismo infantil e a ludicidade, pois com esses dois norteadores o aprendizado ocorre de maneira prazerosa. Também precisamos pensar na inclusão, facilitar a participação de todos, buscar meios que atendam as necessidades das crianças.

Acreditamos que todos são capazes independente de suas necessidades, cabe a nós buscarmos estratégias que possibilite o aprendizado de maneira lúdica.

Sobre o autor

EMEB Jose Mauro de Vasconcelos

EMEB Jose Mauro de Vasconcelos

Comentários no Facebook